Gabriel Santana fala de descoberta sobre bissexualidade e preconceito: 'Você era hétero ou gay'

  Reprodução Big Brother Brasil / gshow

Gabriel Santana fala de descoberta sobre bissexualidade e preconceito: 'Você era hétero ou gay'

Gabriel Santana posa com exclusividade para o gshow para o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ — Foto: GLIN+MIRA/gshow

Desconstruído e se reconstruindo. É assim que se enxerga aos 23 anos. Homem cisgênero (que se identifica com o sexo biológico com o qual nasceu) e bissexual (que sente atração romântica ou sexual tanto por homens quanto por mulheres), o ator se viu já na adolescência em um lugar onde as "opções" não existiam.

"Lembro que na minha adolescência não existia a discussão sobre bissexualidade, você era hétero ou gay. Me descobri bissexual com 19 anos. Hoje, aos 23, passei mais tempo da minha vida acreditando nessa binaridade de orientação sexual do que realmente entendendo a possibilidade de uma sexualidade que fazia mais sentido para mim", conta.

Gabriel posa para as lentes do para celebrar o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, comemorado nesta quarta-feia (28), data considerada um marco na luta pela liberdade, igualdade e respeito. Respeito esse que, para o ator e ex-BBB, ainda tem muito a ser conquistado.

Gabriel Santana posa com exclusividade para o gshow para o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ — Foto: GLIN+MIRA/gshow

"As pessoas não conseguem aceitar as diferenças. A orientação de cada um é algo completamente pessoal e intransferível. Por que você tem uma experiência, uma vivência, e o outro tem que ter a mesma, sabe? Você vai ter as suas verdades e isso não impacta na existência do outro. É muito mais ouvir do que querer afirmar sobre a vida alheia. E esse lugar de escuta é essencial para seguirmos juntos e evoluindo", opina.

E completa: "Sou bissexual, gosto de 50% de homens e 50% de mulheres. São corpos e personalidades diferentes. Para mim, estou me relacionando com pessoas e tanto faz se é um ou outro."

Masculinidade tóxica

Tanto em seu discurso como artista como na forma de se vestir, Gabriel Santana faz questão de mostrar o que pensa. Para isso, ele usa a moda como aliada para passar a sua mensagem. E, com isso, vai encontrando a resistência de uma sociedade, segundo ele, heteronormativa e castradora.

Gabriel Santana posa com exclusividade para o gshow para o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ — Foto: GLIN+MIRA/gshow

"A partir do momento em que existe um código de vestimenta social e, alguém que foge desse padrão, é visto como feio ou como errado. E isso, com certeza, é castrador. Recebo críticas, tanto da sociedade heteronormativa, como da própria comunidade LGBTQIA+, pelo modo que me visto. As pessoas não aceitam que posso ser um homem bissexual que se veste de uma maneira agênera. Já ouvi coisas do tipo: ‘Ah, ele é gay e não se assume.' Ou: 'Ele é hétero e está querendo pagar de bissexual?’. Acho limitador você encaixar quem a pessoa gosta de se relacionar pelo que ela veste", enfatiza.

E, para ele, esse lugar onde se colocou não tem limites: "É um lugar rebelde e progressista, que tento colocar na minha vestimenta em lugares onde sei que vão focar e observar a minha imagem. Porque sou um artista 24 horas. Se precisar usar um cropped, uma saia ou um salto alto, vou usar. Se você pegar uma pessoa de 100 anos atrás e mostrar a moda atual, ela com certeza vai achar tudo muito feio, estranho. Isso porque a moda trata de tendências, mudanças."

Gabriel Santana posa com exclusividade para o gshow para o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ — Foto: GLIN+MIRA/gshow

Efeito pós-BBB

No , Gabriel Santana entrou para a casa mais vigada do Brasil como um integrante do Camarote. Acabou sendo o 11º eliminado da competição, com 56,45% dos votos. Da experiência de confinamento, o ator conseguiu o que queria: ganhar mais visibilidade e exposição para mostrar quem ele é.

"A exposição é uma consequência, ainda mais com as redes sociais. As pessoas, querendo ou não, criam expectativas sobre o artista, de uma maneira geral, e, quando o artista não atende essa expectativa, ela acaba se frustrando. E essa quebra de expectativa pode ser tanto positiva, quanto negativa. Você é uma pessoa mais legal do que a pessoa estava esperando. E a rede social acaba acelerando esse processo", diz.

Gabriel Santana posa com exclusividade para o gshow para o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ — Foto: GLIN+MIRA/gshow

"Ainda mais em uma realidade pós-BBB, quando você sai de uma casa onde o público te assistiu 24 horas por dia. Mas acho que é um processo natural, já sabia que isso aconteceria. Estou lidando de maneira muito tranquila mesmo, porque sei que tudo que faço tem muito a ver com quem é o Gabriel artista mesmo, e tudo que escolhi expor nas redes sociais com um viés muito artístico", finaliza.

Confira o ensaio completo de Gabriel Santana

+ gshow 👇

Rep: gshow/bbb

Vote também na enquete A Grande Conquista:

Grande Final A Conquista: Qual seu participante favorito?? – Vote!

enquete bbb votar bbb


Grande Final de A Grande Conquista 2
Qual seu participante favorito? Para quem vai sua torcida? Vote agora


Vote Agora!

Comentários

Mais Novidades


Participantes

Aline Wirley

Integrante do grupo Camarote do Big Brother Brasil, cantora e comunicadora de 41 anos tem medo de ser cancelada e quer inspirar outras mulheres pretas

Amanda

Integrante do grupo Pipoca do Big Brother Brasil, médica intensivista de 31 anos faz plantões em hospital para pagar financiamento estudantil e ajudar a família

Bruna Griphao

Integrante do grupo Camarote, atriz carioca de 23 anos é descendente de gregos, entrou na TV inspirada por Xuxa e se considera intensa e explosiva



Fique por dentro das novidades